11/06/2016

Cultura do estupro: o que é?

  Resumida e chulamente falando a cultura do estupro é acreditar que fazer piadas com estupro é uma coisa legal, é aceitar e divulgar a ideia de que assédio é legal, é culpar a vitima e inventar pretextos para culpa-la.
  É denominada cultura do estupro, pois certos hábitos estão inseridos em nossa educação e na maneira como nos dizem para agir desde sempre. como por exemplo, os meninos são ensinados que devem "mexer" com as meninas na rua para provar sua masculinidade e as meninas são ensinadas que serão julgadas por suas roupas.
(Foto: Página Diários de uma feminista) 
  O estupro é um fato quando a vitima não está de acordo com o ato ou não está em condições ara avaliar a situação. Independente da história de vida e do sexo de quem sofreu este tipo de violência se ela disse 'não' é estupro; se ela estava desacordada é estupro; se ela estava sobre efeitos de remédiosálcool ou drogas é estupro.
  A violência vai além da física, uma "experiência" tão desagradável e intensa quanto o estupro se torna uma violência mental. Sua intimidade é invadida de uma maneira que vai acompanha-la durante muito tempo ou por toda vida. Se torna difícil executar atividades que eram cotidianas, se torna difícil confiar nas pessoas novamente. Toda vez que a vitima é descrita como culpada ela é violentada mentalmente por todas as pessoas que não acreditam nela.
(Foto: Página Diários de uma feminista)

  Utilizado pela primeira vez na década de 70 nos Estados Unidos, o termo 'cultura do estupro' tem como base mostrar que a sociedade culpava a vitima de estupro e como a sociedade normaliza (até hoje) a violência sexual com as mulheres.
  Essa 'cultura' esta impregnada nas propagandas de TV, nas piadas e expressões depreciativas, musicas e ações que fazem com que as pessoas pensem que o estupro é algo aceitável e que essa depreciação às mulheres é algo cotidiano, certo e esperado.
  Pensamentos assim devem deixar de existir, o respeito ao próximo deve prevalecer a qualquer gano (de dinheiro ou popularidade). Estes conceitos devem ser desconstruídos e a mulher (cis ou trans) deve ser tratada com igualdade e respeito, afinal somos todos seres humanos e merecemos viver em paz.


3 comentários:

  1. Fazia tempo que eu não ficava TÃO apaixonada por um post como estou agora. Obrigada por escrever sobre esse assunto, viu? A blogosfera precisa estar recheada de palavras assim também! <3

    Abraço,
    milenaschabat.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que sensação maravilhosa com o seu comentário! Eu penso igual que a blogosfera precisa abordar esses assuntos! <3 Obrigada, dois beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© DREAMY GIRL - 2015. Todos os direitos reservados.
CRIADO POR: SD DESIGN.
TECNOLOGIA DO BlOGGER.
imagem-logo