28/12/2017

O pior ano da minha vida?

  
  Comecei o ano de 2017 no meio de uma crise da depressão, que só se fez piorar o correr do ano. Em abril cheguei ao fundo do poço acreditando não ter mais forças pra seguir em frente. Ainda acredito não ter forças! 
  Fui cercada de um apoio muito vago, distante! Existem situações na vida que não se deve passar sozinha! E após atingir o fundo do posso eu estava mais sozinha do que nunca.
  Sempre gostei de companhia, talvez era isso que eu precisava. Mas eu não tive. É mais fácil fingir que não aconteceu! 
  Com o passar do tempo fui me tornando mestre em colocar o que acontece em um caixinha e abrir um sorriso. Não é assim que as coisas se resolvem.
  Agosto! Mais um trauma. Mais uma vez sozinha passando por situações tão difíceis que ninguém deveria passar sem apoio.
  É difícil entender o porque algumas coisas acontecem ou porque temos certos medos! Eu sei exatamente o meu motivo de não dormir à noite, de ir 20 vezes até a porta do apartamento pra ver se realmente estar trancado, de ter medo de sair de casa.
  Quando a energia é negativa ao seu redor outras áreas de sua vida são afetadas. Quanto mais eu não conseguia (consigo) fazer algo por conta da ansiedade mais eu tinha (tenho) certeza do meu fracasso como ser humano!
  Coisas boas aconteceram também, pessoas maravilhosas cruzaram o meu caminho esse ano. Sou grata por cada uma delas.
  Eu comecei esse ano trazendo no peito um trauma do ano passado, trouxe também a vontade de renovação e de melhora. Atingi o fundo do poço e ainda estou vagarosamente escalando de volta a borda. É muito difícil, a vontade de desistir é grande. É uma busca diária de motivos pra continuar.
  Não sei o que esperar do ano que se inicia, apenas não quero passar por tudo isso de novo! Quero acelerar a escalada e chegar ao topo.




2 comentários:

  1. E eu achando que era único ser humano que não havia gostado de 2017. Realmente foi um ano terrível. Derramei mais lágrimas do que soltei risadas, principalmente no primeiro semestre. Pensei que iria ficar para trás, mas foi apenas até o meio do ano. Depois, finalmente consegui uma oportunidade de emprego em Porto Alegre. Mas não era a oferta dos meus sonhos. Descobri o lado negro da minha profissão. Para não preocupar meus pais, menti por 6 meses que estava amando meu trabalho, mas no fundo não estava feliz.
    Fiz uma entrevista mês passado, e hoje tive um retorno: uma contratação.
    Não se preocupe, menina, todas as borboletas estão destinadas a voar entre as mais belas flores.
    A borboleta é você e as flores são seus sonhos.
    Palavra de 2018: ACREDITAR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi um ano difícil! Já menti a familiares dizendo estar bem, é uma sensação horrível.
      Que bom que conseguiu o emprego que queria! Fico feliz!
      Realmente a palavra de 2018 e acreditar.
      Obrigada por compartilhar sua historia.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© DREAMY GIRL - 2015. Todos os direitos reservados.
CRIADO POR: SD DESIGN.
TECNOLOGIA DO BlOGGER.
imagem-logo